KARATE

Os Kanji’s (ideogramas) podem ser lidos de duas maneiras: “kun” (pronuncia chinesa) e “un” (pronuncia japonesa). No início o karatê era chamado de karate-jutsu (pronuncia japonesa) ou tode-jutsu (pronuncia chinesa) com o significado de técnica (jutsu) da Mão (te) Chinesa (Kara ou to). Quando o Karatê foi introduzido no Japão na década de 1920 sofreu algumas modificações devido à rivalidade histórica entre Japão e a China.

Existe outro ideograma com a mesma pronuncia “Kara” do Karatê, mas com outro significado que não “chinesa”. Este outro ideograma tem origem no termo Sunya ou Sunyata do sânscrito que significa “zero”, “vazio”, e é muito usado na tradição Zen-Budista com esse significado.

Vários mestres, querendo introduzir o Karate-do no Japão, decidiram adotar esse outro símbolo e também trocar a expressão “jutsu” (técnica ou arte) por “do” que deriva da palavra chinesa “tao” (via, caminho). Este nome pareceu, então, apropriado já que descreve uma arte de luta sem armas e também duas características importantes do Zen-Budismo: a “mente vazia” (sem preocupações, ódio, inveja ou desejo) e o “caminho”, a “via” que devemos transitar para chegar à iluminação.

O karate (em japonês 空手, karate, ou 空手道, karate-dō, “caminho da mão vazia”) é uma arte marcial japonesa. Enfatiza técnicas traumáticas, isto é, destinadas a causar impacto e lesão ao oponente, tirando-o de combate.

Mestre

Isto porque um Karateka (praticante de Karate) utiliza, durante sua prática suas armas naturais, como: visão, mãos, braços, corpo, pés, e cérebro.
 É uma arte altamente científica, que faz o mais eficaz uso de todas as partes do corpo com finalidades defensivas. O objetivo maior do Karate é o aperfeiçoamento do caráter de seus praticantes, disciplinando o corpo e a mente através de treinos árduos. 
Além de ser um excelente meio de defesa pessoal, o Karate constitui uma forma ideal de exercício. Desenvolve a força, a velocidade, a coordenação e o reflexo, e é indicado para efeitos de valor terapêutico.

O treino de karate pode ser dividido em três partes principais: Kihon, Kata e Kumite.

  • Kihon (基本, “fundamentos”) é o estudo dos movimentos básicos.
  • Kata (型, “forma”, “padrão”) é uma espécie de luta contra um inimigo imaginário expressa em seqüências fixas de movimentos.
  • Kumite (組手, “encontro de mãos”) é a luta propriamente dita. Em sua forma mais básica é combinada (com movimentos predeterminados) entre os lutadores para, posteriormente, alcançar o jyu kumite (combate livre ou sem regras). A forma desportiva, ou combate com regras, é conhecida como Shiai-kumite.

A origem e história do karatê é muito incerta. Não existe mesmo uma data ou uma época em que possamos verdadeiramente definir o seu princípio. Mas todos os historiadores, autores e mestres que escreveram sobre este assunto são unânimes em estabelecer uma ligação com o nome do patriarca do Zen, “Bodhidarma”.

Está definitivamente estabelecido ter sido na China a sua origem, e foi desenvolvido a partir da técnica de combate designada kempo(拳法 Kenpō, lei do punho, tradução em japonês  para o termo chinês Quan fa).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *